Sistema de Comunicações

As comunicações são um dos pontos críticos de muitos projetos concebidos para situações de catástrofe. O 20 de Fevereiro de 2010 foi um exemplo de colapso de comunicações devido essencialmente à rutura de cabos, quebra de energia e saturação das redes convencionais de GSM e de emergência.

A implantação dum sistema de telecomunicações para telemetria em zonas isoladas, de acesso restrito, localizadas em vales profundos, com escarpas íngremes e com riscos elevados de escorregamentos a montante e jusante é, por si só, complexa com poucas garantias de fiabilidade em situações similares ao ocorrido no 20 de Fevereiro.

Assim, a conceção das telecomunicações do projeto MonitorizaRibeiras foi sujeita a diversos estudos e análise de cenários alternativos, nomeadamente redes GSM, fibra ótica, satélite e redes privadas de radio telecomunicações.

A solução encontrada face aos limites orçamentais, às características inexpugnáveis da maioria dos locais e aos custos do tráfego, foi aquela que garantia minimamente a sustentabilidade do projeto a curto e médio prazo.

Nesse sentido, o LREC decidiu construir uma rede a partir dum mínimo de pontos estratégicos com alimentação energética alternativa a painéis solares e baterias, com autonomia suficiente para a tomada de decisões em situações similares ao 20 de Fevereiro.

A estratégia para a implementação do projeto passou por se criar nos 5GHz uma rede primária funcional com um débito garantido de 100Mbs, suficiente para a transmissão de imagens em tempo real e de outros dados de telemetria. Os locais dos pontos repetidores foram estudados de modo a garantir a evolução a curto prazo desta rede para uma rede redundante sem custos adicionais relevantes.

A solução final obtida é um modelo hibrido de radiofrequência e de fibra ótica. A fibra ótica foi utilizada apenas nas condutas de betão das estruturas das vias da Vialitoral e Viaexpresso, o que por si só garante a integridade dos cabos mesmo em casos semelhantes aos acontecimentos de 2010.

Equipamentos Complementares

Em cada uma das ribeiras do Funchal será instalado, na estrutura de retenção de material sólido mais a montante, um sismógrafo de alarme com respetivo sensor triaxial (X-Y-Z), que permitirá detetar vibrações causadas (...)

Resumo do Projeto MonitorizaRibeiras

O objetivo do projeto MonitorizaRibeiras é conceber um sistema automático integrado no LREC para a monitorização das ribeiras. Esta fase do projeto monitoriza apenas as ribeiras afetadas pela mais recente aluvião (...)

Bacias Hidrográficas

As bacias hidrográficas abrangidas pelo presente projeto, têm uma orientação predominante N-S. As características morfométricas das mesmas foram consultadas em EARAM (2010), Teixeira, H., (2010), Spínola, A. V., (2010), (...)

Rede Udométrica de Alarme

A conceção de uma rede udométrica, na envolvente da área monitorizada, exigiu um estudo prévio da distribuição e intensidade da precipitação, realizado com base nas observações disponíveis. No âmbito do trabalho (...)